Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Crivella sobre subvenção das agremiações: ‘Fui considerado traidor, mas esse ano vou sair de herói’

142

Criticado explicitamente pela Mangueira no Carnaval de 2018, Crivella acha que esse ano merece novamente destaque nas escolas de samba. Dessa vez, como herói. Em entrevista ao jornal O Globo, o prefeito do Rio de Janeiro falou sobre a subvenção destinada às agremiações, disse que se reunirá com a Liesa e ironizou as reclamações, ao colocar culpa nas escolas pela crise financeira que atinge a folia carioca.

 

Para ele, que deve se reunir esta semana com as agremiações, a falta de compliance do Carnaval fez a folia entrar em crise. Ele citou a imagem ruim deixada pela prisão do ex-presidente da verde e rosa, Chiquinho da Mangueira, que foi solto nesta segunda (14). O fato fez a Uber desistir de patrocinar a festa. A empresa daria R$ 500 mil a cada escola do Grupo Especial e R$ 2,5 milhões para o Carnaval da Intendente Magalhães.

Crivella também disse, ironicamente, que em meio à situação calamitosa em que vivem as contas da prefeitura, o fato da cidade destinar verba para as as escolas de samba é um ato heroico do prefeito.

Talvez eles pudessem fazer um enredo: aqui se faz, aqui se paga

“Eu que na Sapucaí em 2017 fui considerado traidor, esse ano eu vou sair de herói. Eles jogaram fora o patrocínio que eu consegui. Talvez eles pudessem fazer um enredo: aqui se faz, aqui se paga. Nós ajudamos e eles desperdiçaram. Vamos nos reunir com eles para tratar como a prefeitura em um momento de extrema agonia poderá ajudar aqueles que uma vez ajudados jogaram fora a ajuda que receberam”, disse o prefeito.

 

 

Durante campanha eleitoral, em 2016, Crivella prometeu não reduzir a subvenção do Carnaval, que na época era de R$ 2 milhões por escola do Especial. Quando assumiu em 2017, cortou 50% do valor. Com a vinda da Uber, as agremiações receberam R$ 1,5 milhão em 2018. Para 2019, no entanto, a empresa de transporte saiu e o prefeito cortou mais 50%, totalizando R$ 500 mil para cada escola.

A situação piora nos grupos inferiores. As agremiações da Série A terão direito a R$ 250 mil cada. Em 2018, o valor havia sido de R$ 490 mil. O Carnaval da Intendente Magalhães precisará dividir um valor de R$ 3,5 milhões entre as 60 escolas dos grupos B, C, D e E. O fato é que, até o momento, nenhum dinheiro foi depositado na conta das agremiações.

“Durante todos os anos da gestão do ex-prefeito Eduardo Paes, que era carnavalesco, cada escola do Grupo Especial recebeu R$ 1 milhão de subvenção. No último ano, R$ 2 milhões. Quando eu assumo, tinha muitas dívidas a pagar (de financiamento de projetos de infraestrutura construídos para a Olimpíada): foram R$ 1,2 bilhão em 2017 e R$ 1,5 bilhão em 2018. Chamei as escolas e disse: darei R$ 1 milhão e me comprometi a conseguir patrocínio. Viabilizei com a Uber, somando tudo, foram quase R$ 21 milhões”, disse Crivella.

Matéria: SRZD

Comentários estão fechados.

Follow by Email
Instagram
Fale conosco