Publisher Theme
Art is not a luxury, but a necessity.

Após perder emprego na pandemia, ritmista da Portela vence MasterChef e decide doar prêmio

21

O ritmista portelense e administrador de empresas Salvador Cordovil, de 58 anos, foi o grande vencedor do programa “MasterChef” desta terça-feira (15), na Band. Emocionado com o resultado de seu peixe na crosta de sal, Salvador, mesmo desempregado, fez questão de doar o prêmio de R$ 5 mil para uma instituição beneficente.

Em entrevista ao “Portal da Band”, Salvador, demitido por causa da pandemia, afirmou que o fator social da 7ª edição do “MasterChef” foi fundamental quando decidiu fazer sua inscrição. Por isso, a ideia de doar a quantia já havia sido planejada. “Não entrei no programa pelo dinheiro. É claro que ele seria importante porque não estou trabalhando e não tenho uma reserva financeira, mas tem gente que está passando por uma situação ainda mais delicada do que a minha e é preciso ajudar quem precisa”, disse o ritmista, que fez os jurados Henrique Fogaça e Paola Carosella e a apresentadora Ana Paula Padrão chorarem durante o emocionante discurso de agradecimento, após o resultado.

Apesar do gesto nobre, a vitória de Salvador só foi possível graças ao seu “fã-clube”, composto pela esposa, a premiada passista portelense Ana Paula Costa, com quem é casado há 15 anos, e pelos filhos, Ana Beatriz, Gabriela e Eduardo. Foram eles que insistiram para que o cozinheiro participasse do programa. “Estava levando tudo na brincadeira, mas, quando passei, fiquei muito tenso e disse que não queria mais. Não sei fazer algumas coisas, como sobremesas, e isso me preocupou. Tinha medo de me expor e de passar vergonha”, contou.

Na primeira prova da noite, com a caixa misteriosa dos famosos, o participante, que mora em Taubaté (SP), caminhou até a última bancada, onde estava o prato do cantor Nando Reis. Lá precisou fazer uma parmegiana. Já na segunda etapa, o prato era peixe na crosta de sal grosso, uma especialidade do chef Henrique Fogaça, que garantiu sua vitória acompanhado por arroz de amêndoas e molho siciliano.

Fã de carteirinha do jurado Erick Jacquin, o campeão, que toca caixa há 15 anos na bateria Tabajara do Samba e fez questão de declarar seu amor pela Portela durante o programa, prometeu se dedicar mais à gastronomia no futuro. “Estou disposto a avançar. Quero começar a pensar de forma profissional, estudar, melhorar as minhas habilidades e transformar isso em algo que me dê prazer emocional e me sustente. É o meu sonho e sinto que aqui [no MasterChef] aprendi que é possível recomeçar aos 58 anos”, comomorou.

O vencedor do 10º episódio da atual temporada levou, ainda, uma bolsa de estudos integral para graduação ou pós-graduação da Universidade Estácio, um dispositivo Echo e R$ 5 mil em compras no site amazon.com.br. A Brastemp ofereceu a ele um forno da linha Gourmand, e a Tramontina enviará um jogo de panelas profissional e um Kit Chef de facas. Conforme estipulado pelas regras do programa, uma instituição escolhida pela emissora também será contemplada com outra doação de R$ 5 mil.

A presença do portelense no “MasterChef” desta terça-feira reaviva um momento histórico para a agremiação, ocorrido em junho de 2016. Na ocasião, por intermédio do departamento de Marketing da Azul e Branco, o solo sagrado do Portelão foi palco de uma gravação muito especial do programa, em que os participantes tiveram que preparar um churrasco para 100 pessoas, entre elas os integrantes da Velha Guarda Show da Portela e membros da diretoria.

Comentários estão fechados.

Follow by Email
Instagram
Fale conosco